ESTUDOS APONTAM NÚMEROS DESANIMADORES:

“Só 23,7% das mulheres chegam ao clímax”*

“Duas vezes mais mulheres do que homens perdem interesse em sexo no casamento”**

“Apenas 22% das brasileiras chegam ao orgasmo”***

“34% das mulheres disseram ter tido falta de interesse sexual pelo parceiro”***

O PRAZER É TODO MEU chega com o propósito de TRANSFORMAR isso.

O QUE VOCÊ VAI APRENDER?

Pontos de PRAZER da nossa ANATOMIA (vulva e vagina) e SEGREDOS do estímulo CLITORIANO

Como viver SEM HORMÔNIOS

História do PAPEL DA MULHER na sociedade (e o peso disso na dificuldade de sentir prazer)

Como nos LIVRAMOS da AUTO COBRANÇA de padrões estéticos INATINGÍVEIS

Como conseguir GOZAR ou POTENCIALIZAR o ORGASMO

Como PRATICAR diariamente o AUTO AMOR

AUTONOMIA da sua SAÚDE GINECOLÓGICA

ALTERNATIVAS para LIDAR com sua MENSTRUAÇÃO, sem que ela seja um estorvo

RECEITAS de AUTOCUIDADO para os diferentes períodos do seu ciclo menstrual

Como MANTER a LIBIDO em relações de LONGO PRAZO

Dicas TÂNTRICAS para potencializar o prazer

Como ENSINAR seu PARCEIRO(a) a lhe dar prazer

O que você RECEBERÁ:

  • null

    40 Vídeo-aulas em 9 módulos - que ficarão disponíveis para você assistir quantas vezes quiser, durante 6 meses

  • null

    Curso Online e material 100% digital

  • null

    11 conteúdos bônus ( apostila de Ginecologia Natural, Cartilha de Prevenção Sexual, Cartilha Informativa sobre Relações Abusivas, entre outros)

  • null

    GARANTIA DE 7 DIAS PARA DEVOLUÇÃO DO SEU DINHEIRO

  • null

    Acesso a Webnário com a Dra. Marcela

  • null

    Certificado de conclusão para quem completar 100% do curso

O que as mulheres que fizeram o curso estão dizendo:

Dra. Marcela Mc Gowan

Vamos tirar o “Dra.”, primeiro por que lembra DR e ninguém gosta, né?! Mas, principalmente, porque antes de ser médica eu sou mulher.

Desde criança já sabia que dedicaria minha vida a cuidar da saúde das pessoas. Me formei em medicina e me especializei em ginecologia e obstetrícia. Ainda na residência médica, percebi que, quando o assunto era sexualidade, ninguém sabia direito como abordar, mesmo com as pacientes chegando sempre cheias de dúvidas sobre o tema.

Nessa mesma época meu irmão (que é homem trans) abriu sua sexualidade para toda a família, e meu amor por ele me motivou ainda mais a mergulhar no universo da sexualidade humana, e isso passou a ser uma missão de amor. E assim me formei em Sexualidade Humana e Terapia Sexual, pela USP.

Mesmo amando o que fazia, sentia ainda uma pontinha de insatisfação com o que eu oferecia para as pacientes. Meu conhecimento médico me pareceu sempre limitado, insuficiente para abranger toda a intensidade do que é ser mulher na nossa sociedade, e continuei buscando conhecimentos complementares com o intuito de humanizar, simplificar e tornar mais profunda a abordagem da saúde da mulher.

Estudei muito sobre papéis de gênero e feminismo, e ao entender a importância da autonomia das mulheres na sua própria saúde, acabei me apaixonando pela humanização do parto e também por ginecologia natural. Esses dois tópicos abriram minha cabeça para uma medicina integrativa que entende a mulher como um todo e me instigaram a ler e estudar muito sobre temas como fitoterapia, aromaterapia, constelação familiar, sagrado feminino, medicinas orientais e diversas terapias corporais.

Nessa busca, meu caminho se cruzou com o Tantra, que enriqueceu ainda mais meu conhecimento e visão sobre a sexualidade sutil e ao mesmo tempo tão cheia de potências que temos dentro de nós! Dentro do consultório, ficou cada dia mais claro que grande parte das questões sexuais trazidas pelas minhas pacientes não eram apenas físicas ou hormonais, nem possíveis de resolver apenas com um comprimido. O que pesava mesmo era a falta de autoconhecimento, a desconexão com o corpo, o peso de ser mulher e viver em uma sociedade machista que nos controla, limita e tenta enquadrar em caixinhas.

Eu sabia que não seria no tempo de uma consulta que isso poderia ser curado. Daí nasceu o desejo de compartilhar tudo o que eu havia aprendido com o máximo de mulheres possível, de maneira vivencial que permitisse não só uma cura pessoal, mas também coletiva, que acontece quando mulheres se unem. Daqui pra frente, você ja faz parte da minha história porque juntas somos mais fortes.

E o prazer é todo meu em compartilhar!

Beijos, Ma.

* Projeto de Sexualidade da Universidade de São Paulo (Prosex), na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) fevereiro de 2017.
** Pesquisa realizada pela Durex Global Sex Survey.
*** Estudo publicado no periódico científico BMJ Open (https://bmjopen.bmj.com/content/7/9/e016942)

borboletas

Deixe seu e-mail para receber o nosso conteúdo exclusivo e censurado.
É grátis.

loading...
borboletas